EFEBagdá

Centenas de manifestantes retornaram às ruas da capital iraquiana e de outras cidades do sul do país, onde foram registrados confrontos com forças de segurança, após reavivar o movimento popular que começou em outubro para exigir reformas políticas e económicas.

Uma fonte do Ministério do Interior iraquiano informou à Efe que um manifestante foi morto e 40 sofreram asfixia devido ao gás lacrimogéneo usado pela polícia para o expulsar da estrada Mohamed Qasem, isolada hoje por manifestantes, que também atearam fogo aos pneus.

Simultaneamente, centenas de outros manifestantes, incluindo estudantes de universidades e escolas secundárias, foram à Praça Tahrir em Bagdá, o epicentro dos protestos desde o início, há quase quatro meses.