EFETeerão

As Forças Armadas Iranianas reconheceram neste sábado que abateram o avião ucraniano com 176 pessoas a bordo "involuntariamente e por erro humano", após dois dias de negação desta hipótese, apresentada por vários países.

Segundo a declaração, o erro deveu-se ao facto de que "nesta situação muito delicada e de crise" o Boeing 737 estava localizado perto de um centro militar dos Guardiões da Revolução com "uma altitude e posição de voo de um alvo inimigo".

As forças armadas explicaram que após as ameaças do presidente dos EUA, Donald Trump, e dos comandantes americanos de "atacar vários locais no território da República Islâmica no caso de uma operação recíproca ... eles estavam no mais alto nível de alerta".