EFEMoscovo

O presidente do Irão, Hassan Rohani, afirmou neste sábado que o seu país continua a cumprir com as suas obrigações dentro do acordo nuclear assinado em 2015, apesar da saída dos Estados Unidos do pacto e da imposição de sanções americanas.

"Apesar da saída dos EUA do acordo e da imposição de sanções ilegais e infundadas, apoiadas por outras partes, o meu país ainda continua a cumprir com as obrigações que assumiu", disse Rohani.

O líder iraniano, que está em Duchambé, capital do Tajiquistão, para participar na Conferência de Interação e Medidas de Confiança na Ásia (CICA, na sigla em inglês), advertiu ao mesmo tempo que o Irão não pode ser o único a respeitar os compromissos assumidos.

Rohani, enquanto ressaltava a disposição do Irão a participar de "qualquer diálogo bilateral e multilateral", lembrou que Teerão tomou recentemente a decisão de renunciar a alguns dos seus compromissos adquiridos em 2015 esperando garantir pelo menos as exportações de petróleo e as suas transações bancárias.

"A falta de uma reação positiva de outros países, o Irão irá continuar com o seu trabalho nessa direção", advertiu.

Por sua vez, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, ao discursar na CICA também comentou a situação em torno do acordo nuclear com o Irão e pediu aos demais signatários (China, França, Reino Unido e Alemanha) que mantenham o seu compromisso com o pacto.

O chefe do Kremlin criticou Washington por deixar o acordo ao assinalar que a decisão americana "dificultou substancialmente a sua aplicação" e "repercute de forma negativa no regime de não-proliferação nuclear".