EFE

Lviv (Ucrânia)

Os líderes militares ucranianos deram a ordem de abandonar a defesa da cidade portuária de Mariupol, avançou o comandante do Batalhão Azov, Denis Prokopenko.

"Glória à Ucrânia! 86 dias de defesa de Mariupol. O comando militar superior deu a ordem para preservar a vida e a saúde dos soldados da guarnição e parar de defender a cidade", disse o comandante numa mensagem de vídeo publicada no Telegram e noticiada pelas agências Ukrinform e Unian.

Prokopenko acrescentou que "apesar dos fortes combates, da defesa generalizada e da falta de provisões", insistiram sempre em três condições importantes para o regimento no que diz respeito aos civis, aos feridos e aos mortos.

"Os civis podiam ser evacuados, os feridos graves recebiam a assistência necessária e podiam ser evacuados e depois trocados e levados para território controlado pela Ucrânia. Quanto aos heróis mortos, o processo continua", disse.

Ao mesmo tempo, manifestou a esperança de que os corpos dos defensores mortos na siderurgia Azovstal sejam entregues e "em breve os familiares e toda a Ucrânia possam enterrar os seus heróis com honras".