EFEMadrid

Madrid vai ampliar a partir da próxima segunda-feira, dia 28, as restrições de mobilidade em vigor desde o início desta semana em 37 zonas do sul da região a mais oito áreas, segundo anunciaram esta sexta-feira as autoridades de saúde madrilenas, que descartaram o confinamento total da cidade recomendado pelo ministério da Saúde espanhol.

A região de Madrid acumula 40% do total de contágios em Espanha, com 4.350 novos casos notificados esta quinta-feira, segundo os últimos dados oficiais, números que a colocam no topo do país e da Europa.

A decisão de ampliar as restrições, adotada pelas autoridades regionais madrilenas, foi anunciada esta sexta-feira pelo vice-conselheiro de Saúde Pública e Plano COVID-19 de Madrid, Antonio Zapatero, em conferência de imprensa.

"Estas medidas têm uma base puramente técnica, procuram impedir a transmissão do vírus e, sobretudo, proteger os cidadãos", disse Zapatero após a reunião da Comissão criada na passada segunda-feira entre o Governo madrileno e nacional para colaborar na luta contra a COVID-19 nesta comunidade autónoma, a mais afetada pela segunda vaga da pandemia em Espanha.

Em Espanha são as comunidades autónomas que têm as competências em matéria de saúde, mas o Governo regional de Madrid, presidido pela conservadora Isabel Díaz Ayuso, pediu ajuda ao Executivo do Socialista Pedro Sánchez há alguns dias tendo em conta o forte aumento das infeções.

Quase ao mesmo tempo, o ministro da Saúde espanhol, Salvador Illa, disse em conferência de imprensa que o seu ministério tinha recomendado às autoridades de Madrid a aplicação das recentes restrições "a toda a cidade de Madrid", algo que o Executivo autónomo madrileno não tinha feito.

O ministério tinha também recomendado a extensão da restrição da mobilidade aos municípios com uma incidência acima de 500 casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias, embora o Governo regional apenas tenha alargado as medidas a oito novas áreas.

"A responsabilidade neste momento de tomar medidas cabe claramente à Comunidade de Madrid, explico as medidas que recomendamos, o Governo quer que sejam conhecidas por todos os cidadãos num exercício de transparência, e nos próximos dias vamos ver", disse Illa.

Esta quinta-feira, o ministro advertiu que Madrid enfrenta "semanas duras" e pediu que se atue "com determinação" para controlar a situação".