EFEMadrid

A Comunidade de Madrid vai fechar a região de forma perimetral durante dez dias, de 4 a 14 de dezembro, período que abrange a ponte do feriado da Constituição no primeiro fim de semana do mês, de forma a evitar a expansão do coronavírus.

Esta medida foi tomada de modo a chegar ao período de Natal nas melhores condições possíveis, segundo anunciou esta sexta-feira em conferência de imprensa um dos responsáveis de Saúde da região, Antonio Zapatero.

O Governo regional madrileno já adotou esta mesma decisão nas duas últimas pontes de modo a tentar salvar a época natalícia e continuar a achatar a curva de contágios, que nos últimos catorze dias apresenta uma incidência acumulada de 297 por 100.000 habitantes.

Zapatero assinalou que Madrid baixou dos 300 casos pela primeira vez, um bom dado que mostra que a região está a caminhar "por um bom caminho" e que se junta a outros números encorajantes, como a descida de 65,21% do número de casos positivos a respeito do valor máximo desta segunda vaga.

Contudo, ressaltou que é preciso receber os bons dados "com prudência", recordando que o vírus é "traiçoeiro e não nos permite relaxar, muito menos confiar".

"Estamos num momento crítico e queremos ser cautelosos; este caminho vai ser longo, por isso continua em vigor o recolher obrigatório desde as 00h00 até às 06h00", disse Zapatero.

A capital de Espanha recebe habitualmente milhares de visitantes de outras regiões durante a chamada ponte da Constituição -vários dias festivos à volta do dia da Constituição, 6 de dezembro, a festividade religiosa da Imaculada no dia 8 e o fim de semana- aproveitada por imensas pessoas para ver as luzes de Natal de Madrid e fazer as compras típicas desta época.