EFETeerão

Um grande número dos detidos durante os protestos antigovernamentais dos últimos dias no Irão são jovens e muitos deles são estudantes, assegurou hoje o ministro de Educação do Irão, Mohamad Bathai.

"Ainda não há estatísticas exatas a respeito de quantos deles são estudantes", mas "hoje faremos um acompanhamento deste tema com o Ministério do Interior e em outras instituições de segurança", disse Bathai, segundo a agência local iraniana de notícias "ISNA".

Pelo menos mil pessoas foram detidas em diferentes cidades do país desde que na quinta-feira começaram os protestos pelas políticas económicas do Governo, embora esse número possa ser maior, já que muitas províncias não facilitaram dados.

O ministro de Educação, que não especificou a idade dos estudantes detidos, explicou que "alguns" dos que foram detidos só "estavam a passar pelas ruas" onde estavam os manifestantes, que em algumas cidades enfrentaram as forças de segurança.

Ontem, Bathai lamentou no Twitter a morte nos protestos de dois estudantes chamados "Armin" e "Shayan", sem facilitar as suas idades, ainda que, segundo meios locais, tratava-se de dois menores de 13 e 15 anos.

As manifestações começaram na quinta-feira na cidade de Mashad e estenderam-se a numerosas cidades, onde até agora morreram mais de 20 pessoas.

As autoridades iranianas ameaçaram ontem acusar os manifestantes de delitos como "atentar contra a segurança nacional" e "inimizade com Deus" (moharebeh), ambos que podem ser puníveis com a pena de morte.