EFERoma

Mais quatro migrantes foram evacuados durante a noite do barco da ONG espanhola Open Arms, ficando agora a bordo 134 resgatados e os membros da tripulação, que esperam em águas italianas a autorização para desembarcar num porto.

"Realizada na noite passada a evacuação urgente de três pessoas e um acompanhante devido a complicações médicas que requerem atendimento especializado. Todas as pessoas a bordo precisam de ser desembarcadas com urgência. Por humanidade", escreveu a organização nas redes sociais.

Esta evacuação durante a noite aconteceu horas depois de outros nove migrantes terem sido levados no domingo à ilha de Lampedusa, pois o barco encontra-se a pouca distância da sua costa.

O Open Arms espera um porto seguro desde 1 de agosto, encontrando-se em águas italianas desde dia 14 deste mês, após a Justiça deste país ter cancelado a proibição assinada pelo ministro do Interior, Matteo Salvini, e lhe permitisse deixar para trás as águas internacionais.

O líder de extrema-direita, no entanto, não autoriza o desembarque das pessoas a bordo, pelo que estas continuam bloqueadas a pouca distância de Lampedusa.

O primeiro-ministro de Itália, Giuseppe Conte, anunciou domingo que os governos de Espanha, França, Alemanha, Roménia, Portugal e Luxemburgo transmitiram-lhe a sua disponibilidade para acolher uma parte dos imigrantes resgatados pelo Open Arms.