EFECastillejos (Marrocos)

A polícia marroquina selou esta quarta-feira a passagem fronteiriça de Tarajal e interrompeu o êxodo migratório que nos últimos dias permitiu a entrada de cerca de 8.000 migrantes indocumentados na cidade espanhola de Ceuta, segundo a Efe pôde comprovar junto da fronteira

Enquanto isso, o Governo marroquino permanece em silêncio, como tem feito nos últimos dias, e ainda não fez qualquer alusão ao sucedido.

As centenas pessoas que durante toda esta terça-feira estiveram concentradas frente à passagem de Tarajal, aproveitando qualquer distração policial ou oportunidade para passar a fronteira, estão agora a fazer o caminho inverso, até o sul, depois de constatarem que os acessos estão fechados.

Segundo a Efe pôde verificar, a passagem que separa Ceuta e Castillejos (através da qual milhares de pessoas penetraram nos últimos dias) está vazia, e os migrantes estão a regressar desde Ceuta.

A polícia de choque marroquina não permitiu que ninguém se aproximasse da passagem, apesar das tentativas ocasionais de alguns grupos.

Segundo testemunhos recolhidos dos candidatos à migração que lá passaram a noite, as autoridades marroquinas também não lhes permitiram subir a colina para tentar entrar pela parte mais próxima ao bairro de El Príncipe.

Marrocos aceitou até agora a devolução de 4.800 pessoas, cerca de metade das que entraram entre domingo e terça-feira. Entre eles estão cerca de 1.500 menores não acompanhados, que foram acolhidos provisoriamente em Ceuta.