EFEMadrid

Ao lado da ativista sueca Greta Thunberg, milhares de pessoas participam nesta sexta-feira da Marcha pelo Clima em Madrid, que começou por volta das 18h, para pedir aos governos a adoção urgente de medidas face a crise climática.

Diversas pessoas de todas as idades começaram a se reunir uma hora e meia antes do início da manifestação -assim como Thunberg, que concedeu uma conferência de imprensa- levando cartazes em alusão à crise climática, aos objetivos do desenvolvimento sustentável e à necessidade de agir porque "não há planeta B".

A passeata, com o lema "O mundo acordou para a emergência climática", foi convocada pelas plataformas Fridays for Future (Sextas-feiras pelo Futuro), Aliança pelo Clima, Aliança pela Emergência Climática e 2020 Rebelião pelo Clima, e contou com o apoio de muitas outras.

A manifestação e a presença de Thunberg deslocaram o foco midiático da Cimeira do Clima (COP25), que começou na segunda-feira na capital espanhola, com a participação de quase 50 chefes de Estado e de governo de quase 200 países.

O protesto, com manifestações paralelas em outros lugares, conta com o apoio de 850 entidades como as ONGs ambientais WWF, Greenpeace e SEO Birdlife, além da presença de políticos espanhóis.

Também marcam presença manifestantes com cartazes com mensagens como "Um planeta, uma oportunidade", "Busca-se um futuro", "Não há planeta B", "Se o clima fosse um banco, vocês teriam salvado" e "Emergência climática, medidas políticas já". Tudo isso junto com elementos como um globo terrestre gigante em chamas carregado por membros do Greenpeace.