EFETeerão

Pelo menos 9 pessoas morreram ontem à noite em diferentes cidades da província iraniana de Isfahan (cerca de 350 quilómetros ao sul de Teerão), sendo já 20 os falecidos nos protestos antigovernamentais que se realizam no país, informaram hoje meios locais.

Entre os mortos de ontem à noite encontram-se 6 manifestantes que perderam a vida na cidade de Qahderiyan, quando atacaram a esquadra da cidade, uma criança de 11 anos que morreu na cidade de Jomeini Shahr, um membro dos Guardiães da Revolução na cidade de Kahriz Sang e um polícia na cidade de Najaf Abad, todos baleados.

Além disso, o vice-governador de segurança e política da província de Hamedan, Said Sharoji confirmou outros três falecidos na cidade de Tuiserkan durante os protestos registados ontem à noite nessa cidade.

Com estes são já 20 os mortos por causa das manifestações antigovernamentais contra a corrupção e a situação socio-económica do país que começaram no passado 28 de dezembro.

O Ministério iraniano do Interior deixou claro que não se outorgou nenhuma permissão para convocar manifestações e que a lei iraniana de crimes políticos penaliza qualquer protesto considerado "contrário à gestão do país e as suas instituições políticas e às políticas nacionais e exteriores".

Durante os protestos, os manifestantes cantaram lemas de ordem em algumas ocasiões contra o sistema da República Islâmica, o presidente Rohani e o líder supremo do país, Ali Khamenei.

Além disso, incendiaram os contentores de lixo e partiram as montras de alguns bancos.