EFEBeirute

O número de pessoas que morreram devido à explosão ocorrida no porto de Beirute na semana passada aumentou para 171, enquanto o de feridos continua acima de 6 mil, informou esta terça-feira à Agência Efe uma fonte do Ministério da Saúde do Líbano.

As autoridades deixaram de divulgar um balanço concreto da quantidade feridos e desaparecidos. A fonte, que preferiu manter o anonimato, explicou que foram confirmadas 171 mortes e que os feridos serão contabilizados como "mais de 6 mil", sem detalhes específicos.

Os militares e a Segurança Nacional, encarregados das operações de busca, ficarão agora responsáveis pelos dados sobre os desaparecidos.

Hassan Diab renunciou ao cargo de primeiro-ministro do Líbano e anunciou a saída de todo o gabinete na segunda-feira passada, após os protestos que pediam a demissão dos governantes em meio da grave crise económica e política, que se agravou com a explosão.

A explosão ocorreu no dia 4 de agosto num armazém no porto de Beirute onde desde 2014 eram guardadas 3 mil toneladas de nitrato de amónio sem as devidas medidas de segurança, segundo admitiram as autoridades, que ainda não confirmaram as causas do incidente.