EFEBarcelona

A diretora do Departamento de Saúde Pública e Ambiente da OMS, a espanhola María Neira, prevê que a vacinação dos grupos de risco comece a princípios do próximo ano e que no verão já haja uma certa normalidade, embora a imunidade apenas será generalizada em finais de 2021.

Numa entrevista à rádio catalã RAC-1, Neira previu "uns meses duros", mas mostrou-se confiante numa "nova normalidade" no verão ou até antes.

"Os grupos mais vulneráveis provavelmente poderão ser vacinados no primeiro trimestre de 2021. Será uma produção inicial. Na segunda parte de 2021 vamos continuar a aumentar a produção e distribuição da vacina", augurou.

"Há um otimismo que todos precisamos", disse Neira, que pede rigor e cautela, embora ressaltou que a concorrência entre farmacêuticas "pode ser muito positiva. Está a dar-nos bons resultados".

A respeito das medidas restritivas para conter a pandemia, Neira opinou que "o importante é ter uma estratégia completa e paciência para que as medidas funcionem. Há que tomar as medidas com a capacidade de que tenham o mínimo impacto possível na sociedade, mas que tenham efeito na saúde".

Perguntada sobre o próximo Natal, a doutora espanhola admitiu que "não será um Natal tão socialmente divertido e expansivo como outros anos. Teremos que ser muito criativos e ter muita imaginação. Será necessária paciência, estratégia e um certo otimismo ativo".

E, para depois desta pandemia, Neira propôs "rever o triângulo saúde humana-animal-ambiental. O que aconteceu aqui. Precisamos de um estilo de vida que reduza os fatores de risco".