EFERoma

Oito imigrantes vão ser evacuados previsivelmente hoje a Malta desde o navio da ONG espanhola Open Arms, que espera um porto seguro no qual salvar cerca de 150 imigrantes resgatados em águas do Mediterrâneo central.

"A evacuação pendente de 2 mulheres, com necessidade de atendimento médico especializado, vai ser realizado nas próximas horas junto aos seus círculos familiares. No total serão evacuadas 8 pessoas. Malta fez-se cargo desta evacuação", escreveu a ONG no Twitter.

A chefe de missão, Anabel Montes, explicou à Efe por telefone que foi possível negociar o desembarque para as duas mulheres doentes junto aos seus familiares mais próximos, pois separar estas pessoas poderia ter repercutido muito negativamente no seu estado anímico.

Estas duas mulheres vão chegar a Malta em helicóptero: a primeira, "com problemas para cuidar-se de si própria", vai estar acompanhada pela sua irmã e o seu sobrinho, e a segunda, pela sua filha de onze anos, duas irmãs e a sua mãe.

A estas pessoas é preciso acrescentar-se a evacuação a Lampedusa, na noite passada, de um imigrante com tuberculose por parte da Guarda Costeira italiana.

Continuam a bordo da embarcação 151 imigrantes, além da tripulação, à espera de porto, onze dias depois do primeiro resgate, no passado 1 de agosto, em "condições de aglomeração", explicou Montes.

"As 151 pessoas que vão ficar a bordo precisam de um porto seguro JÁ. A Europa abandonou-as. A sua falta de humanidade é absoluta", lamentou a organização nas suas redes sociais.

O navio encontra-se em águas internacionais a 29 milhas (cerca de 50 quilómetros) de Lampedusa, pois nem Malta nem Itália permitem o acesso a um dos seus portos.