EFERoma

O navio da ONG espanhola Open Arms resgatou na madrugada deste sábado em águas internacionais no Mediterrâneo 39 pessoas, que se somam às 121 que se encontram a bordo há uma semana, com o que já são 160 as que esperam ser recebidas em algum porto.

"Resgatadas agora 39 pessoas por Open Arms em águas internacionais. Enquanto seguimos sem porto seguro para desembarcar", escreveu na rede social o fundador da ONG, Oscar Camps.

Camps também ressaltou que as autoridades de Malta rejeitaram permitir o navio que atraque num porto da ilha para permitir descer a terra a estas pessoas e que só aceita receber os últimos 39 resgatados.

Por outra parte, o fundador da ONG lamentou que se geraram "sérios problemas de segurança em coberta", sem dar mais detalhes.

A Open Arms espera desde a semana passada perto de Lampedusa, em águas internacionais, um porto seguro para salvar os imigrantes, no total 160, entre os que há pelo menos quatro menores e 3 mulheres grávidas, resgatados em três operações diferentes.

Paralelamente, as organizações Médicos Sem Fronteiras (MSF) e SOS Mediterrâneo informaram na sexta-feira de que o navio de salvamento marítimo de migrantes Ocean Viking tinha auxiliado 85 pessoas, quatro delas crianças, a poucas milhas do litoral de Libia.