EFEMadrid

O presidente do Governo espanhol, o socialista Pedro Sánchez, realizou este sábado uma profunda reestruturação do seu atual Executivo, com mudanças que afetam ministérios centrais, como os Negócios Estrangeiros, e que colocam as políticas económicas num lugar preferencial, para além de prescindir de quem era até agora o seu braço direito, o seu chefe de gabinete, Iván Redondo.

Entre as principais mudanças adiantadas à EFE desde fontes governamentais estão a primeira vice-presidente do Governo, Carmen Calvo, até agora um pilar fundamental do Executivo, cujo lugar será ocupado por Nadia Calviño, que ocupava a segunda vice-presidência e a pasta dos Assuntos Económicos e da Transformação Digital.

O atual embaixador espanhol em França, José Manuel Albares, será o novo ministro dos Negócios Estrangeiros, em substituição de Arancha González Laya.

As fontes citadas confirmaram também a saída do Governo do ministro dos Transportes e Secretário de Organização dos socialistas, José Luis Ábalos, outro dos pesos pesados desta primeira parte da legislatura.

Quase recém-chegado ao gabinete ministerial, o atual chefe da Política Territorial e Administração Pública, o catalão Miquel Iceta, será o novo ministro da Cultura e Desporto em substituição de José Manuel Rodríguez Uribes, que ocupou o cargo durante 19 meses.

Félix Bolaños, até agora secretário-geral da Presidência do Governo, vai-se juntar a este gabinete como ministro da Presidência e das Relações com os Tribunais (uma competência que Calvo também detinha).

As fontes também confirmaram a saída de Pedro Duque do ministério da Ciência e Inovação.