EFEMadrid

A investidura de Pedro Sánchez como presidente do Governo espanhol fracassou esta quinta-feira devido à abstenção do partido de esquerda Unidas Podemos, o que impediu o líder socialista espanhol de alcançar a maioria na segunda e última votação realizada no Congresso.

Sánchez obteve 124 votos a favor, 155 contra e 67 abstenções.

A votação aconteceu após um curto debate protagonizado por uma dura troca de reprovações entre os dirigentes socialistas e o líder do Podemos, Pablo Iglesias, que se acusaram mutuamente pelo fracasso das negociações para um Governo de coligação.

Sánchez constatou que "o acordo não foi possível" e lamentou a perda de uma "histórica oportunidade" para formar um Executivo de esquerda.

Sánchez garantiu que desejava formar uma coligação com o UP, mas "não a qualquer preço", e criticou o líder do Unidas Podemos, Pablo Iglesias, de querer entrar no Governo espanhol "para controlá-lo".

Na mesma linha, a porta-voz parlamentar do Partido Socialista (PSOE), Adriana Lastra, afirmou que "nós queremos negociar de boa fé, mas não vamos aceitar chantagens", e lembrou a Iglesias que "não ganhou as eleições".