EFECairo

O número de mortos na explosão no porto de Beirute que na terça-feira sacudiu a capital libanesa subiu a 100, enquanto o de feridos já é mais de 4.000, informou hoje a Cruz Vermelha libanesa.

"Até agora, cerca de 4.000 pessoas ficaram feridas e perto de 100 perderam as suas vidas. As nossas equipas continuam com as operações de busca e resgate nas áreas próximas", disse à Efe o porta-voz da Cruz Vermelha, Rodney Eid.

O primeiro-ministro libanês Hassan Diab revelou numa reunião com o presidente Michel Aoun que um carregamento não vigiado de 2.750 toneladas de nitrato de amónio foi a causa da explosão, embora a origem seja desconhecida.

Esta quarta-feira é o primeiro dia de luto nacional declarado no país, em estado de emergência durante duas semanas.

O Conselho Supremo de Defesa libanês decretou ontem Beirute como "zona de catástrofe".

A comunidade internacional demonstrou a sua solidariedade para com o povo e o Governo do Líbano, que está a atravessar a sua pior crise económica desde o fim da guerra civil (1975-1990).