EFELisboa

Portugal avança esta segunda-feira para uma nova fase de desconfinamento, onde o teletrabalho já não será obrigatório e a restauração poderá ficar aberta até à uma da madrugada, embora quatro concelhos do país, entre eles Lisboa e Braga, não passem à fase seguinte.

A situação mais preocupante do país é a região de Lisboa e Vale do Tejo, que nas últimas semanas representou cerca de 60% dos positivos diários e se encontra acima dos 120 casos por cada 100.000 habitantes em catorze dias.

À exceção de Lisboa, Braga (norte), Odemira (sul) e Vale de Cambra (norte), os outros 274 concelhos portugueses passam agora à quinta fase de desconfinamento, que permitirá ter recintos culturais e restaurantes abertos até à uma da madrugada e onde o teletrabalho já não será obrigatório.

Os transportes públicos poderão ter uma capacidade de dois terços ou capacidade total se todos os seus lugares são assentos.

O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, disse que, em relação ao desconfinamento, "já vai haver volta atrás".

Desde o começo da pandemia, Portugal contabilizou 857.447 contagiados e 17.047 falecidos.

A incidência por cada 100.000 habitantes nos últimos 14 dias é de 79,3 pessoas, enquanto que o índice Rt., que mede o número de pessoas que cada pessoa infetada contagia, é de 1,07.