EFELisboa

O forte aumento de contágios e falecidos por covid-19 em Portugal desde finais de dezembro levou o Governo a decretar o confinamento do país a partir desta sexta-feira e durante um mês. Os portugueses terão "o dever de recolhimento domiciliário", embora as escolas irão continuar abertas.

Só será possível sair de casa para trabalhar, caso o teletrabalho não seja uma opção, ir à escola, médico, compras, assistir idosos ou dependentes, fazer desporto ao ar livre individualmente ou passear na zona de residência.

O teletrabalho é obrigatório sempre que possível, e foram endurecidas as multas para garantir que as empresas o cumpram.

O Governo de António Costa tomou esta decisão depois da semana mais complicada desde o início da pandemia. Nos últimos sete dias foram registados um total de 912 falecidos e 61.299 positivos.

Esta situação levou os hospitais a se encontrarem numa situação bastante complicada devido ao aumento exponencial de internamentos.

Existem atualmente 4.368 pessoas hospitalizadas por covid nos diferentes hospitais do país, 611 nos cuidados intensivos.

Os casos ativos também dispararam nas duas últimas duas semanas, até às 121.815 pessoas.