EFELisboa

O primeiro-ministro de Portugal, António Costa, anunciou este sábado as novas restrições que vão entrar em vigor a partir do próximo 24 de novembro, que procuram travar o aumento "extremadamente preocupante" de casos de covid-19 nas últimas semanas.

Durante uma conferência de imprensa no Palácio da Ajuda, Costa anunciou que será obrigatório o uso de máscara -já o era na via pública- nos locais de trabalho, exceto quando há uma distância mínima ou o trabalhador esteja sozinho.

O primeiro-ministro anunciou que ainda controlos fiscais nas empresas que não cumprem com o teletrabalho, obrigatório em todas os concelhos com mais de 240 casos por cada 100.000 habitantes.

Além disso, foi decidido suspender as aulas em todas as escolas do país nos dias 30 de novembro e 7 de dezembro, vésperas de feriados.

Costa fez também um apelo ao setor privado para que suspenda os dias laborais nestas mesmas datas.

Já nos feriados de 1 e 8 de dezembro, vai ser proibido circular entre os municípios do país.

O recolher obrigatório para todos os concelhos com mais de 240 casos por cada 100.000 habitantes mantém-se das 23h às 5h em dias úteis e das 13h às 5h nos fins de semana.

Contudo, entre 27 de novembro e 2 de dezembro e de 5 a 9 de dezembro, o recolher obrigatório será o mesmo em todo o país e vai ser aplicado entre as 23h e as 5h.

Em qualquer concelho com mais de 240 positivos, os estabelecimentos comerciais têm que fechar às 22h e os centros culturais às 22h30.

Além disso, em 127 municípios onde há mais de 480 casos por cada 100.000 habitantes, entre elas Porto e Lisboa, o recolher obrigatório para fins de semana e feriados será entre as 13h e as 5, e os estabelecimentos comerciais terão que fechar a partir das 15h nos dias 30 de novembro e 7 de dezembro.