EFELisboa

Portugal, onde o Governo vai hoje aprovar um novo confinamento geral, ultrapassou esta quarta-feira o meio milhão de casos num dia em que foram notificados 10.556 contágios e 156 falecidos por covid-19, novos máximos de toda a pandemia.

Segundo o último balanço da Direção-Geral da Saúde (DGS), foram registados desde março 507.108 casos e 8.236 mortos no país.

Desde que ultrapassou a marca de uma centena de falecidos diários, os números de mortos em Portugal têm-se mantido acima dessa barreira, chegando esta quarta ao máximo de 156.

Além disso, depois de vários dias com números algo mais baixos devido ao efeito do fim de semana, os contágios voltaram a passar dos 10.000, como já tinha acontecido na semana passada.

A terceira vaga continua a aumentar a pressão sobre os hospitais, onde o número de internados não para de crescer desde o começo de 2021.

Esta quarta-feira há 4.240 pacientes hospitalizados por covid-19 (mais 197 que ontem), 596 deles em unidades de cuidados intensivos (menos três).

As autoridades não apontaram por enquanto se os números elevados das últimas semanas têm relação com a entrada em Portugal da variante britânica, com 72 casos identificados em todo o país, incluídos os arquipélagos da Madeira e Açores.

Contudo, a severidade da terceira vaga levou o Governo a preparar um novo confinamento geral, similar ao da primavera, que se vai alargar durante um mês.

As medidas concretas serão aprovadas esta quarta-feira em conselho de ministros, mas é esperado o fecho de grande parte do comércio e serviços e que a restauração opera apenas com entregas ao domicílio e take away.

As escolas vão permanecer abertas, pelo menos para os alunos menores de 12 anos.

Para poder avançar com este confinamento, o Parlamento português deu hoje luz verde a uma nova extensão do estado de emergência, até 30 de janeiro.