EFEBeirute

O presidente do Líbano, Michel Aoun, reconheceu hoje que soube da presença de uma "grande quantidade" de nitrato de amónio no porto de Beirute a 20 de julho, duas semanas antes da explosão que causou 171 mortos e mais de 6.000 feridos, e assegurou que o Conselho Supremo da Defesa foi imediatamente informado.

"O presidente Aoun foi informado a 20 de julho de 2020 através do relatório de Segurança do Estado da presença de uma grande quantidade de nitrato de amónio num armazém no porto de Beirute, e o conselheiro militar de Sua Excelência informou o Secretário-Geral do Conselho Supremo da Defesa," declarou a Presidência na sua conta do Twitter.

O conselheiro de Aoun informou-o sobre a presença do nitrato de amónio na presença do Conselho de Ministros "para que ele pudesse tomar as medidas necessárias", e o Secretário-Geral do Conselho Superior de Defesa transmitiu então o texto aos departamentos "competentes", de acordo com a versão da Presidência.

"A Presidência da República está empenhada em assegurar que a investigação judicial continue, utilizando toda a experiência para mostrar a verdade completa sobre a explosão, as suas circunstâncias e os responsáveis por ela a todos os níveis", concluiu.

O comentário de Aoun chega depois de nas últimas horas terem surgido notícias de vários meios de comunicação no Líbano que afirmam que tanto o presidente como o primeiro-ministro Hassan Diab, que se demitiu na segunda-feira, sabiam da existência do fertilizante que causou a tragédia.

Aoun está sob forte pressão não só das ruas, onde tem havido protestos constantes desde a explosão para exigir a saída de toda a classe no poder, mas também de alguns sectores políticos.

Há dois dias, o presidente libanês aceitou a demissão de todo o Governo, ao qual pediu para permanecer no cargo até à formação de um novo executivo.

No último dia 4, a deflagração de 2.750 toneladas de nitrato de amónio armazenadas no porto de Beirute provocou uma explosão de grandes proporções que até agora causou 171 mortos e mais de 6.000 feridos.