EFECopenhaga

A Procuradoria sueca decidiu hoje reabrir o caso por um suposto delito de violação contra o fundador do site WikiLeaks, Julian Assange, que tinha sido fechado há dois anos devido à impossibilidade de fazer a investigação avançar.

A procuradora superior adjunta Eva-Marie Persson, que vai ativar a ordem de detenção europeia, aludiu à mudança nas circunstâncias pessoais de Assange depois do Equador lhe ter retirado o asilo e a solidez das suspeitas contra o jornalista australiano.

Assange está detido numa prisão de máxima segurança no Reino Unido à espera de resolução sobre um pedido de extradição aos Estados Unidos, onde a justiça o reivindica pela divulgação ilegal de documentos secretos feita pelo seu site, que poderão custar-lhe uma pena de pelo menos cinco anos de prisão.