EFEPequim

Pelo menos 23 pessoas ficaram feridas, duas delas em estado grave, e outras 11 foram detidas durante a manifestação deste sábado em Hong Kong, que aconteceu apesar de ter sido proibida pelas autoridades.

A contagem de feridos feita este domingo pela imprensa local cobre até à 1h, enquanto a Autoridade de Hospitais de Hong Kong não publicou informação a este respeito.

Nos confrontos com grupos de manifestantes, soldados antidistúrbios usaram gás lacrimogéneo, granadas especiais de 40 milímetros -munição não letal para controlo de massas- e balas de borracha.

Num comunicado emitido na madrugada de hoje, a Polícia considera que foi usada a "força apropriada", enquanto a ONG Amnistia Internacional culpa as forças da lei de "inflamar a tensão da situação em vez de reduzi-la".