EFELondres

O Governo britânico pediu às embarcações do Reino Unido que permaneçam fora do estreito de Ormuz por um "período provisório", depois que um petroleiro deste país fosse capturado na sexta-feira por guardas iranianos.

O petroleiro britânico Stena Impero, da barqueira Stena Bulk, perdeu o contato com o seu operador por volta das 15.00 horas GMT de ontem, depois de receber o aviso de que várias embarcações sem identificar e um helicóptero se aproximavam à embarcação.

Outro petroleiro, o Mesdar, de bandeira liberianas, conseguiu ontem restabelecer contato com o seu operador britânico e continuou a sua viagem por Ormuz, após ter sido abordado por guardas armados iranianos.

Um porta-voz do Governo pediu hoje aos navios britânicos que evitem passar pela zona e reiterou que está "profundamente" preocupado com umas medidas iranianas "inaceitáveis".

Como já disse o ministro de Exteriores, Jeremy Hunt, o Reino Unido irá avaliar a sua resposta e vai haver "graves consequências se a situação não for resolvida", acrescentou a fonte.

Por outro lado, o operador do Stena Impero informou que o petroleiro cumpria "plenamente" com todas as regulações sobre a navegação internacional quando foi interceptado.

Segundo Stena Bulk, não há feridos entre os 23 membros da tripulação, de diversas nacionalidades mas nenhum britânico.

O navio "já não está sob o controlo da tripulação e não se pode contactar" com ele, acrescentou um porta-voz da companhia.

A barqueira do Master, a Norbulk Shipping UK, com sede em Glasgow (Escócia), comunicou ontem que consiguiu restabelecer o contato com o barco e que toda a tripulação está bem.