EFEBruxelas

O presidente do Governo espanhol, Pedro Sánchez, disse que a chegada em massa de imigrantes irregulares a Ceuta na semana passada representa uma crise entre a União Europeia (UE) e Marrocos, e enfatizou a Espanha é o melhor aliado do país africano no bloco comunitário.

Numa reunião extraordinária do Conselho Europeu, Sánchez mencionou a situação provocada pela chegada de milhares de imigrantes à cidade autónoma espanhola, localizada no norte da África.

Segundo o governante, esses fatos "desencadearam uma crise sem precedentes nos últimos anos entre a União Europeia e Marrocos" e agradeceu à resposta "contundente e firme" de todas as instituições europeias e de outros parceiros que se solidarizaram com Espanha.

"Agradeço por apoiarem um Estado-membro, o meu país, Espanha", disse o chefe de Governo, que classificou o problema da migração como um desafio importante que deve ser abordado por todos os Estados-membros da UE. Segundo ele, as relações de vizinhança com Marrocos precisam de ser fundamentadas em dois pilares: confiança e respeito às fronteiras.

Sánchez viajou a Marrocos para garantir que não há "nem melhor, nem maior aliado dentro da União Europeia que Espanha para defender interesses estratégicos importantes" para o país e para a UE.

O presidente do Governo espanhol insistiu na importância do caráter estratégico da relação entre UE e Marrocos, e disse esperar que esse laço seja o mais construtivo possível.