EFELondres

O Parlamento britânico realiza hoje uma sessão extraordinária, a primeira desde a guerra das Malvinas em 1982, para que os deputados decidam se apoiam o acordo do "brexit" negociado pelo primeiro-ministro, Boris Johnson.

A sessão de hoje na Câmara dos Comuns, denominada pela imprensa como "super-sábado", começou pelas 8.30 GMT e a duração vai depender do número de emendas que se apresentem.

Londres e Bruxelas chegaram na quinta-feira -dia 17- a um acordo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia (UE) depois de intensas negociações e na véspera da cimeira europeia, que respaldou o documento acordado entre as partes.

O primeiro-ministro acordou o texto com a UE depois de superar as diferenças sobre como evitar uma fronteira fixa entre as duas Irlandas a fim de não prejudicar o processo de paz norte-irlandês.

Johnson, que chegou ao poder em julho passado em substituição da também conservadora Theresa May, trabalhou ontem e esta manhã para convencer os deputados para apoiarem o seu acordo, mas o primeiro-ministro está perante uma difícil situação porque não tem maioria parlamentar e os seus parceiros norte-irlandeses do Partido Democrático Unionista (DUP) anteciparam que irão votar contra.

O primeiro-ministro precisa de 320 votos para desenvolver o seu acordo do "brexit" mas apenas conta com 288 depois que recentemente expulsasse a mais de 20 deputados "tories" por ir contra uma retirada da UE sem acordo.