EFEWashington

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou esta sexta-feira que decidiu "romper" a relação do seu país com a Organização Mundial da Saúde (OMS), à qual acusa de má gestão da emergência sanitária da COVID-19 por ter acreditado em excesso as informações fornecidas pela China.

Embora não tenha dado mais detalhes ao respeito durante uma conferência de imprensa, o anúncio de Trump representa a suspensão permanente da contribuição do seu país à organização, agora congelada, estimada entre 400 e 500 milhões de dólares anuais, o que equivale aproximadamente a 15% do orçamento do organismo.