EFE

Uvalde (EUA)

O ex-presidente dos EUA Donald Trump apareceu nesta sexta-feira como uma estrela na convenção anual da Associação Nacional do Rifle (NRA, em inglês), onde fez uma férrea defesa das armas, apenas três dias após o tiroteio que matou 19 crianças e duas professoras numa escola de Uvalde (Texas).

Trump repetiu o guião dos republicanos ao atribuir o massacre à saúde mental do atacante, um jovem de 18 anos chamado Salvador Ramos, e arremeteu contra "os grotescos esforços" dos democratas para um maior controlo na compra de armas.

"As políticas de controlo de armas impulsionadas pela esquerda não teriam feito nada para evitar o horror que teve lugar. Absolutamente nada", afirmou o expresidente ao intervir no centro de convenções de Houston, no Texas, no mesmo estado onde o massacre aconteceu.