EFEIstambul

O ministro do Interior da Turquia, Süleyman Soylu, ameaçou a União Europeia (UE) com romper o acordo de refugiados e enviar 15.000 migrantes por mês ao seu território, informou hoje o jornal Hürriyet.

"Temos um acordo de readmissão. Se quiserem cada mês abrimos o caminho a 15.000 refugiados e vocês perdem a cabeça", disse Soylu num evento ontem à noite em Ancara.

A Turquia ameaça de forma reiterada à UE com suspender o acordo fechado em março de 2016, no qual aceitou receber novamente refugiados chegados à Grécia desde o seu território em troca de ajudas económicas e a isenção de vistos para os seus cidadãos.

As ameaças aumentaram de tom desde da Alemanha e Holanda terem vetado comícios de campanha eleitoral a ministros turcos nos seus países em apoio da reforma constitucional que entregaria todo o poder executivo ao presidente, atualmente o islamita Recep Tayyip Erdogan.

Soylu afirmou que as ações da Europa têm a intenção de debilitar a Turquia: "Holanda, Alemanha! Acham que não nos damos conta?".

"Integraram a Turquia na UE? Ajudaram-nos a lutar contra o terrorismo?", acusou Soylu.

Nos passados dias, Erdogan acusou a Alemanha e Holanda de comportamentos "nazis" e "fascistas", e chegou a atribuir a Amsterdão o genocídio de cerca 8.000 muçulmanos na cidade bósnia de Srebrenica, cometido por milícias servo-bósnias.