EFEBruxelas

Os líderes da União Europeia acordaram esta sexta-feira adotar novas sanções contra a Bielorrússia por facilitar a entrada na UE de milhares de migrantes irregulares.

Num documento de conclusões adotado na cimeira europeia que finalizou esta sexta, os Estados-membros ressaltaram que não vão aceitar "nenhuma tentativa de terceiros países de instrumentalizar migrantes para fins políticos", condenaram os ataques híbridos nas fronteiras da UE e indicaram que vão "responder" à situação.

Segundo os vinte e sete, o regime do presidente Alexandr Lukashenko está há meses a promover uma "guerra híbrida" ao facilitar a entrada na UE de milhares de migrantes irregulares, a maioria oriunda do Iraque, através das suas fronteiras com a Lituânia, Letónia e Polónia.