EFE

Kiev

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, disse que o seu país está agora mais próximo do que nunca da União Europeia (UE) desde que conseguiu a independência em 1990.

"A Ucrânia está agora o mais próxima que esteve da União Europeia desde a independência", indicou o presidente ucraniano na sua habitual mensagem de vídeo diária, noticiada pelas agências locais.

Zelensky apontou que "graças à coragem dos homens e mulheres ucranianos, a Europa pode criar esta nova história de liberdade e finalmente eliminar a zona cinzenta entre a UE e a Rússia na Europa de leste".

O presidente da Ucrânia fez estas declarações horas após a visita na quinta-feira a Kiev do presidente francês, Emmanuel Macron, do chanceler alemão, Olaf Scholz, do primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, e do presidente romeno Klaus Johannis.

A chegada à capital ucraniana, antes do encontro com Zelensky, coincidiu com a ativação na cidade de uma sirene antiaérea.

"A Rússia criou um ambiente para que todos pudessem ouvir estas sirenes para provocar uma atmosfera tensa, mas ninguém se assustou. Só nos inspirou a sermos o mais concretos possível e a negociar pelos nossos interesses, para todos os ucranianos e para todos na Europa", sublinhou.

Os líderes europeus, numa visita conjunta a Kiev sem precedentes desde o começo da invasão russa a 24 de fevereiro, anunciaram na quinta-feira o seu apoio à Ucrânia para que lhe seja concedido o estatuto de país candidato à UE.