EFEGuarda (Portugal)

Idanha-a-Velha, uma antiga sede episcopal portuguesa da época romana situada na Raia luso-espanhola e com meia centena de habitantes, conserva na sua igreja o batistério mais antigo da península ibérica, segundo uma investigação coordenada pela Universidade de Coimbra (UC).

Pedro Carvalho, professor da faculdade de Letras da UC, explicou hoje à EFE que se trata de uma antiga piscina batismal, própria da época romana.

"O batismo fazia-se por imersão, pelo que a piscina, de um metro quadrado, tinha três escadas para entrar e outras três para sair", explicou o professor.

A pia, que foi descoberta durante escavações há cinquenta anos, foi datada através de um trabalho de investigação desenvolvido por cientistas das Universidades de Coimbra e de Lisboa, junto com alguns investigadores espanhóis da Galiza.

Após atravessar dados de análise físico-químicos e de provas de carbono com morteiro e argamassa, o estudo científico determinou que se trata de um batistério da segunda metade do século IV.

Segundo Carvalho, "este é o batistério mais antigo da península ibérica".

No centro histórico de Barcelona, lembrou o professor, há outro batistério da mesma época, datado genericamente do século IV.

A localidade de Idanha-a-Velha, situada junto à fronteira espanhola da província de Cáceres (centro), foi uma importante sede episcopal entre os séculos IV e V, embora atualmente esteja muito despovoada.

Sobre a sua catedral em ruínas foi construída a atual igreja de Santa Maria, na qual há outro batistério similar datado do século V.