EFELisboa

O primeiro-ministro português, o socialista António Costa, considerou esta segunda-feira que as previsões adiantadas por Bruxelas, que concedem a Portugal um crescimento de 5,8% -o número mais alto do bloco comunitário-, confirmam a "solidez" da economia lusa.

O investimento "cresce acima da média", o desemprego cai e a inflação "será a mais baixa dos 27" membros do clube da UE, disse Costa à imprensa.

As previsões anunciadas hoje pela Comissão Europeia superam as estimativas do Governo de Costa, colocam Portugal com um crescimento de 5,8%, o maior da UE -e três décimas acima da estimativa de fevereiro- e revêm em alta a inflação, até 4,4%, a mais baixa do bloco comunitário.

Estes dados, segundo o primeiro-ministro, "confirmam a solidez da nossa economia e as sólidas bases de crescimento futuro, e reforçam a confiança nas nossas políticas públicas, baseadas num crescimento sustentado e na coesão social".

Porém, "temos que continuar a trabalhar para controlar a inflação, que é a grande ameaça que temos pela frente".