EFEPorto

O primeiro-ministro português, António Costa, anfitrião da Cimeira Social que se realiza no Porto, chegou esta sexta-feira ao evento com confiança de conseguir um "compromisso" para apoiar o plano de ação e executar o Pilar Europeu de Direitos Sociais.

"Creio que estamos em boas condições para sair daqui com um compromisso de apoio à execução do plano de ação dos direitos sociais", disse em declarações à imprensa ao chegar à Cimeira, no edifício da Alfândega do Porto.

O português destacou que a Cimeira não reúne apenas os líderes e instituições, recebendo também os agentes sociais e a sociedade civil: "Estamos todos sentados à mesma mesa, podemos dialogar diretamente", ressaltou.

Costa considerou que se ter colocado o pilar social "no centro do debate europeu" já é um "passo muito importante", e espera que este sábado o Conselho Europeu "dê um passo em frente".

"Em 2017 conseguimos proclamar 20 princípios gerais, mas agora é necessário coloca-los em ação e fazê-los chegar à vida dos europeus e europeias", disse o primeiro-ministro português, que salientou que um "forte estado social é fundamental para responder a situações dramáticas".

A Cimeira Social vai contar com a participação de forma presencial de 24 dos 27 chefes de Estado e de Governo da UE, que irão procurar apoiar o plano de ação do Pilar Europeu de Direitos Sociais, com a redução do desemprego e da pobreza, o impulso da formação e a igualdade de oportunidades como eixos da iniciativa.