EFELisboa

A Liga Portugal garantiu que o jogo de futebol entre o Belenenses e o Benfica do passado sábado foi disputado com o consentimento dos delegados de ambas equipas, apesar do surto de covid do clube azul, que só tinha 9 jogadores de campo disponíveis.

Depois da forte polémica causada pelo jogo, que foi suspenso após o intervalo depois do Belenenses ter ficado com apenas 6 jogadores de campo, e de se saber que os futebolistas desta equipa estão infetados com a variante Ómicron, a Liga respondeu com um comunicado em que não se responsabiliza pela disputa do encontro.

Segundo a Liga, "antes da reunião preparatória do jogo, o Delegado da Liga Portugal questionou os Delegados de Jogo dos clubes sobre a possibilidade de adiamento, tendo sido afirmado por ambos que essa hipótese não se colocava".

Os 44 membros do Belenenses estão em isolamento, e as treze amostras de covid analisadas deram positivo para a nova variante Ómicron.

Por outro lado, a Liga Portugal também se pergunta por que razão a delegada de Saúde que supervisionou a situação "não considerou os nove jogadores disponíveis como contactos de alto risco", já que tinham tido contacto com os positivos.

Nas últimas horas, o Belenenses solicitou à Liga a repetição do jogo, enquanto o Benfica, que venceu por 0-7, descreveu em comunicado o ocorrido como "um dos episódios mais tristes da história do futebol português".

O clube encarnado também deixou claro que não fez "parte ativa" na decisão de realizar o jogo e que aguarda as conclusões do processo disciplinar aberto pela Liga.

Em todo o caso, a Liga Portugal mostrou a sua "consternação pela imagem extremamente negativa" causada ao nível nacional e internacional.