EFELisboa

O antigo presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, foi absolvido do caso do ataque à academia de Alcochete, no qual jogadores da primeira equipa foram agredidos há dois anos por adeptos radicais no interior dos balneários.

A juiz que instruía o caso absolveu esta quinta-feira o ex-presidente dos "leões", Nuno Mendes, mais conhecido como "Mustafá", -líder da claque "Juventude Leonina"- e Bruno Jacinto, funcionário do Sporting que intermediava com as claques da equipa.

Os arguidos estavam acusados de supostos delitos de autoria moral da invasão, além de sequestro, terrorismo ou dano com violência.

Ao todo, a juiz que leu a sentença condenou 41 dos acusados a diferentes penas por acesso a um lugar proibido, e 37 por delitos contra a integridade física.

Nove terão que cumprir uma pena de prisão de cinco anos, 29 receberam pena suspensa e outros quatro foram multados.

Os incidentes ocorreram a 15 de maio de 2018 na academia de Alcochete de um Sporting então treinado por Jorge Jesus e que contava no plantel com jogadores como William Carvalho (hoje no Bétis), Rui Patrício (Wolverhampton), Jérémy Mathieu ou um jovem Bruno Fernandes (Manchester United).

Um grupo de adeptos radicais encapuzados entrou à força nas instalações e agrediu jogadores e membros da equipa técnica.