EFELisboa

Os casos confirmados de varíola dos macacos em Portugal subiram para 37, depois dos 14 detetados nas últimas horas, e as autoridades sanitárias, que aguardam resultados de outras amostras, não descartam um aumento.

A Direção-Geral da Saúde informou que detetou entre as análises realizadas uma variedade do vírus da África Ocidental que "é menos agressiva".

O número de casos confirmados em Portugal tem estado a aumentar desde a passada quarta-feira, quando a DGS informou dos primeiros cinco quadros confirmados de "monkeypox".

As autoridades sanitárias portuguesas recomendam que os utentes procurem aconselhamento clínico caso apresentem lesões ulcerativas, erupção cutânea, gânglios palpáveis, possivelmente acompanhados de febre, dores musculares e cansaço.

Além disso, pedem às pessoas com sintomas para evitar contacto físico direto com outros, assim como compartilhar roupa, toalhas, lençóis e objetos pessoais.

A varíola dos macacos, do género Ortopoxvirus, é uma doença rara transmissível através do contacto com animais ou em contacto próximo com pessoas infetadas ou materiais contaminados.

Vários países europeus já informaram de vários casos deste vírus, detetado pela primeira vez na República Democrática do Congo em 1970 e que se multiplicou na última década em países do oeste e centro de África.