EFELisboa

A líder do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, acha que o Partido Socialista nunca quis assinar um acordo de legislatura e que as reuniões com a esquerda buscavam "não frustrar a expectativa" dos portugueses que queriam uma nova "geringonça".

"A minha leitura é que o PS, verdadeiramente, nunca quis o acordo", disse em entrevista publicada hoje pelo semanário Expresso, nove dias depois que os socialistas anunciassem que não voltariam a fazer pactos de legislatura com a esquerda, fórmula que usaram há quatro anos e conhecida como "geringonça".

Martins lembrou que o PS, tanto na noite eleitoral como na reunião que mantiveram ambos partidos três dias depois, disse que estava disponível para negociar um acordo, mas "muito rápidamente" mudou de opinião sem fazer contrapropostas.

"Há noção de que existe uma enorme expectativa popular à esquerda da reedição da 'geringonça'. O PS não quis frustrar essa expectativa num momento pós-eleitoral", considerou Martins, que afirmou que os socialistas também podem preferir negociar determinadas questões com a direita.

A líder do Bloco indicou que, apesar da falta de acordo, há "áreas de convergência" entre os dois partidos e espera que possam trabalhar nisso em breve.

O Bloco de Esquerda foi a terceira força mais votada nas eleições do pasado dia 6 de outubro, nas quais conseguiu 19 deputados.

Os socialistas de António Costa conseguiram 108 e ficaram a oito da maioria absoluta, após o que decidiram governar sozinhos e sem acordos de legislatura, negociando caso a caso no Parlamento para buscar apoios.