EFELisboa

Portugal registou nesta sexta-feira o seu maior pico de infecções no último mês, com 377 novos casos do novo coronavírus nas últimas 24 horas, novamente com a grande maioria dos casos (89%) ocorridos na região de Lisboa e Vale do Tejo, que permanece sob restrições pelo menos até o próximo dia 15.

Os números da Direção-Geral de Saúde (DGS) mostram que o país tem um total de 1.465 mortes e 33.969 infecções, sendo dez óbitos e 377 casos entre ontem e hoje, o número mais alto em 28 dias.

A diretora da DGS, Graça Freitas, disse hoje que Lisboa "apresenta uma tendência estável, mas com números de incidência relativamente elevados em relação ao resto do país" e é por isso que o foco está em fazer testes para isolar casos assintomáticos e evitar que as cadeias de transmissão sejam mantidas.

A região de Lisboa registrou vários surtos nas últimas semanas que causaram preocupação entre as autoridades e impediram que a área avançasse para a terceira e última fase do desconfinamento português há uma semana.

As restrições que permanecem em Lisboa, onde os centros comerciais permanecem fechados e os restaurantes limitam a sua ocupação a 50%, enquanto no resto do país eles podem operar com toda a sua capacidade, vão ser mantidas pelo menos até o próximo dia 15.