EFELisboa

A comissária europeia de Coesão e Reformas, a portuguesa Elisa Ferreira, defendeu hoje o impulso das regiões periféricas e cidades de dimensão média para combater o despovoamento que afeta países como Espanha e Portugal, na abertura de um fórum parlamentar binacional.

Portugal e Espanha são "pioneiros e um exemplo de sucesso" em programas europeus como o Interreg, defendeu a comissária numa mensagem gravada que foi projetada na abertura do VII Fórum Parlamentar Luso-Espanhol, no qual participam a presidente do Congresso espanhol, Meritxell Batet, e o presidente da Assembleia portuguesa, Eduardo Ferro Rodrigues.

Ferreira apostou por "transformar cidades de média dimensão em lugares onde as empresas se possam instalar e onde os jovens queiram viver", para o qual é necessário criar condições de acesso a direitos como a educação, saúde, Internet ou até mesmo o lazer.

Meritxell Batet, por sua vez, pediu no seu discurso que a fronteira luso-espanhola fosse transformada numa "oportunidade" para combater o despovoamento, um problema para o qual os dois países ibéricos estão a criar uma "política verdadeiramente integrada".

A presidente do Congresso espanhol salientou a importância de manter a cooperação entre os dois países, o que assume um "significado especial" no contexto da pandemia.

No âmbito desta cooperação, Batet apelou à promoção do desenvolvimento em áreas transfronteiriças e "converter a permeabilidade das fronteiras numa oportunidade face ao problema que há em um e noutro lado, o despovoamento".

Este foi o "mandato" da última cimeira ibérica, realizada em 2018 em Valladolid, onde ambos países se impuseram a tarefa de estabelecer uma estratégia comum contra o despovoamento das regiões fronteiriças.

"Mais além de ações concretas, estamos a construir uma política verdadeiramente integrada, definida em comum, para combater o despovoamento", defendeu Batet, que salientou que "a Raia é hoje uma dessas fronteiras cheias de encontros, oportunidades e pontes".

Ferro Rodrigues salientou também a importância de "implementar a estratégia comum de desenvolvimento territorial" em áreas tão diversas como os transportes, a energia e o ambiente, e destacou a união de Espanha e Portugal na luta contra a COVID-19.

"Faz sentido que na nossa resposta ao desafio saibamos como reagir em conformidade", disse o presidente do Parlamento português, que também considerou que o plano de recuperação aprovado pelo Conselho Europeu para enfrentar a pandemia mostra que a Europa "é capaz de dar respostas e traçar caminhos de coesão".

A presidente do Congresso espanhol tem também previstas reuniões de trabalho com o primeiro-ministro português, António Costa, e o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa.

O Fórum Parlamentar está a ser realizado como prelúdio da próxima cimeira entre os governos de Portugal e Espanha, marcada para 2 e 3 de outubro na cidade portuguesa da Guarda, muito perto da fronteira espanhola.