EFELisboa

'Correntes d'Escritas', um dos principais festivais literários portugueses, arranca esta sexta-feira na Póvoa de Varzim em formato "online" e com uma homenagem ao escritor chileno Luis Sepúlveda, que faleceu por coronavírus pouco depois de ter participado na edição do ano passado.

O evento, que vai reunir mais de 100 autores de tradição ibérica, realiza-se esta sexta e sábado com um programa com um programa mais concentrado do que em ocasiões anteriores, "adaptado aos tempos que vivemos", segundo o vereador de cultura da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Luís Diamantino.

As homenagens a Sepúlveda serão constantes, com o número 20 da revista literária do evento dedicada integralmente ao autor e à sua carreira profissional, e a celebração de um ato com a leitura de "História da gaivota e do gato que a ensinou a voar", uma das obras mais conhecidas do chileno.

A cerimónia de abertura, que poderá ser acompanhada nas redes sociais e no site da autarquia da Póvoa de Varzim, vai contar com a participação da ministra da cultura, Graça Fonseca, que estará acompanhada pelo escritor Alberto Manguel, ex-diretor da Biblioteca Nacional da Argentina.

O feminismo será outro dos eixos do encontro, nomeadamente através de "As Penélope", um projeto que irá envolver um grupo de 12 escritoras e 12 bordadeiras da tradicional camisola poveira, que vão produzir conjuntamente textos e peças têxteis.