EFEMadrid

CTT Express, a empresa criada após a integração da portuguesa CTT com a espanhola Tourline Express, apresentou esta sexta-feira a sua chegada em Espanha, onde anunciou que vai investir 12 milhões de euros este ano e prevê crescer 70% tanto em envios como em rendimentos até 2023.

Segundo destacou o diretor-geral da CTT Express, Manuel Molins, o objetivo da nova marca é converter-se no "operador de referência ibérico" e dar "mais qualidade" e ter um maior "crescimento comercial" do que a concorrência direta.

Precisamente, ao ser perguntado pela concorrência mais direta, o grupo espanhol Correos, Molins disse que a CTT tem a vantagem de cotar em Bolsa desde o ano 2013, o que lhes permite "assegurar a máxima transparência e a possibilidade de tomar decisões que favoreçam os clientes a partir de estritos critérios de negócio".

Segundo destacou Molins, os CTT moveu em 2019 30 milhões de envios e faturou 125 milhões de euros em Espanha e Portugal.

A CTT Express quer tornar-se na operadora ibérica de referência com especial penetração nos "fluxos transfronteiriços entre Espanha e Portugal", apostando pela "qualidade" para alcançar esse objetivo, pois na sua opinião "muitas poucas empresas são capazes de acometer os picos de estacionalidade com as grandes campanhas de saldos oferecidas pela Black Friday ou a Cyber Monday, entre outras", pretendendo dar "estabilidade ao serviço".

Para isso será necessário, segundo Molins, investimentos em tecnologia e investimentos em instalações, salientando que serão 12 milhões de euros ao longo de 2020.

O conceito que os diferencia com a concorrência, segundo Molins, é a "inovação", anunciando que irão usar a Inteligência Artificial na partilha, já que pretendem conseguir "100% de efetividade graças à tecnologia".

No que se refere ao crescimento comercial, disse que vão adicionar ao seu modelo de 'franchise' uma ampla faixa de serviços a partir da primeira hora do dia e oferecer às grandes empresas um "serviço fiável, estável e com cobertura ibérica".

Por sua vez, o diretor-executivo dos CTT, João Bento, sublinhou que "mudaram" a marca por uma "mais ligeira e mais jovem", de maneira que "não serão só uma operadora de correios" mas sim "operadora de soluções".

A CTT Express, com 2.500 pontos de serviço, realizou em Espanha e Portugal 30 milhões de envios em 2019.

A Tourline Express, por sua vez, operava no mercado espanhol desde 1996 com um modelo de sucursais e centros próprios.