EFELisboa

Portugal registou em 2016 até 59,4 milhões de dormidas, um aumento de 11,6% a respeito do ano anterior, segundo os dados atualizados do setor divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) português.

O dado correspondente a 2016 é superior em dois pontos percentuais ao valor provisório de dormidas divulgados pelo organismo em fevereiro passado, quando informou as suas primeiras estimativas sobre o comportamento do setor.

De acordo com os dados, dentro do volume de dormidas em alojamentos turísticos, 70,6% correspondeu a mercados externos.

O INE precisou que durante o ano passado cresceu especialmente a chegada de turistas franceses (mais 20% que em 2015), seguidos de alemães (mais 11,6%).

Além disso, o mercado britânico, que contribui ao redor de uma quarta parte dos turistas que Portugal recebe, aumentou 11,3%, enquanto que os visitantes espanhóis cresceram 9,9%.

Durante 2016 as dormidas aumentaram em todas as regiões, especialmente no arquipélago dos Açores (onde cresceu 28,5%), seguido do Norte (mais 14,1%) e Madeira (mais 12,8%).

A região do Algarve, no sul, "mantém-se como principal destino" do país, ao acumular 32% das dormidas em 2016, seguido de Lisboa, que registou 24,9% do total.

A taxa de ocupação das vagas hoteleiras em 2016 foi de 46,4%, e a estadia média foi de 2,78 noites.

O turismo contribui a Portugal cerca de 10% do PIB, de acordo com os dados da Agência para o Investimento e o Comércio Externo luso (Aicep), dado que aumentou nos últimos tempos.