EFELisboa

O diretor-executivo da Endesa, José Bogas, avançou esta quarta-feira que Portugal faz parte da estratégia que a empresa desenhou para liderar a transformação do setor elétrico na península ibérica.

Num encontro virtual com os meios de comunicação de Espanha e Portugal, Bogas ressaltou que os modelos e pontos de carregamento elétricos "vão ser bastante mais rápidos" a partir de agora no território português, algo que se enquadra num desafio de um modelo energético livre de emissões.

Quanto ao tipo de serviços que prestam sob a marca "Endesa X" para grandes clientes, José Bogas destacou os 350 projetos de serviços de valor acrescentado que a companhia colocou em andamento em Portugal, especialmente no âmbito da poupança e eficiência energética.

"Os resultados triplicaram nos últimos cinco anos", afirmou o diretor-executivo acerca da estratégia de projetos com grandes clientes.

Além disso, recordou que vão continuar a linha de oferta de eletricidade e gás em Portugal, mercado no qual alcançaram semanas atrás a marca de meio milhão de clientes.

Quanto à produção de hidrogénio verde, Bogas também não descartou esta linha de negócio em Portugal "caso existam as condições adequadas".

Entre alguns dos projetos de futuro da Endesa em Portugal está a construção de uma central solar fotovoltaica na cidade de Évora, fronteiriça com Espanha.

A instalação, de 99 megawatts, será desenvolvida, construída e operada pela divisão de renováveis da Enel -matriz da Endesa- e será o primeiro projeto para este grupo na península ibérica.