EFEGuarda (Portugal)

As associações culturais Codeseda Viva (Espanha) e Caminho Jacobeu Minhoto Ribeiro (Portugal) querem homologar um traço do Caminho de Santiago que une a cidade de Braga com Santiago de Compostela.

Segundo explicou hoje à EFE o presidente da Codeseda Vida, Carlos de Barreira, "o objetivo que perseguimos desde Portugal e Espanha é que o traço seja homologado pela Xunta da Galiza, que é a quem lhe corresponde".

Ao longo de todo o trajeto, de 240 quilómetros, é habitual encontrar igrejas que têm a imagem do Apóstolo Santiago, "alminhas" nos quais se depositam esmolas ou vários cruzeiros.

A rota tem o nome de "Geira Romana y de los Arrieros" e está dividida num percurso de nove períodos, segundo ilustra um novo guia que já se pode adquirir em castelhano e em galego, e que em fevereiro estará disponível também em português.

"O nome de geira era o que se usava na Idade Média para denominar a antiga calçada que ia desde Braga até Astorga" -comentou Barreira-, ainda seja também conhecida como a rota dos "arrieros", já que era o caminho usado para transportar o vinho de ribeiro desde as quintas dos mosteiros até Santiago.

O primeiro que percorreu este caminho inteiro e de maneira oficial foi o jornalista português Carlos Ferreira, cuja experiência serviu para editar o novo guia de 94 páginas elaborado pelo espanhol Barreira e o peregrino português de Braga Henrique Malheiro.

O objetivo é que o traço esteja homologado em 2021, Ano Santo Compostelano.