EFELisboa

Milhares de devotos chegados de 14 países encheram esta terça-feira a esplanada do santuário de Fátima na última peregrinação do ano, a primeira com lotação máxima desde o começo da pandemia de coronavírus.

O santuário recebeu ao longo da manhã numerosos peregrinos para participarem nos diferentes atos religiosos, nomeadamente 48 grupos organizados, entre os quais 8 de Itália, 3 de Espanha ou 5 de França, e alguns de países como as Filipinas ou El Salvador.

Apesar da enchente, não foram registados incidentes quer nas zonas de culto como nos acessos ao santuário, segundo informou a Guarda Nacional Republicana (GNR), que salienta que os peregrinos têm mantido o distanciamento social.

Esta peregrinação, que é habitual a 13 de outubro, esteve presidida pelo cardeal e arcebispo de São Salvador da Bahia (Brasil), Sérgio da Rocha, acompanhado pelo cardeal e bispo de Fátima, António Marto, entre outros.

Fátima, um dos motores do setor turístico de Portugal, recupera assim a normalidade após ano e meio de restrições que afetaram bastante o acolhimento de peregrinos.

O Santuário de Fátima, que em 2019 recebeu um total de 6,3 milhões de visitantes, é um dos principais destinos de peregrinação católica do mundo e alberga a capela das Aparições, onde, segundo a tradição, apareceu a virgem em 1917.