EFELisboa

A multinacional Galp anunciou esta sexta-feira que o Banco Europeu de Investimento (BEI) lhe concedeu um financiamento de 732 milhões de euros para a criação de uma rede de centrais fotovoltaicas e carregadores de veículos elétricos em toda a Península Ibérica que irá contribuir para a coesão territorial de Portugal e Espanha.

A empresa energética anunciou em comunicado que vai destinar 325 milhões de euros para a criação de uma rede de centrais fotovoltaicas comerciais em Espanha, nomeadamente em municípios das regiões da Andaluzia, Extremadura, Castela-La Mancha e Aragão.

Essas áreas espanholas vão acolher centrais solares de entre 24 a 449 MWp (megawatt-pico) com uma capacidade total de cerca de 2 GWp (gigawatts-pico), equivalente ao consumo energético anual de 866.400 casas.

No âmbito deste projeto, o BEI comprometeu-se a financiar uma segunda fase de construção de centrais fotovoltaicas em Espanha com mais 325 milhões de euros.

Adicionalmente, o BEI concedeu um empréstimo de 40 milhões de euros para a construção e exploração de quatro centrais solares fotovoltaicas interligadas com uma capacidade total de 144 MWp no Algarve (sul de Portugal).

Estas serão na região de Alcoutim, especificamente nos municípios de Viçoso (48 MWp), Pereiro (18,7 MWp), São Marcos (48,9 MWp) e Albercas (28,4 MWp).

Estas centrais no sul de Portugal irão gerar, uma vez operacionais, 230 GWh (gigawatt-hora) de energias renováveis por ano, o equivalente ao consumo energético anual de 72.800 casas.

O total de energia renovável bruta operacional da Galp em exploração e desenvolvimento ronda os 4,7 GW, distribuída entre Portugal, Espanha e Brasil, 926 MW dos quais já se encontram em operação.

A empresa pretende ter mais de 4 GW e 12 GW de capacidade operacional bruta em 2025 e 2030, respetivamente.

41 MILHÕES PARA 5.500 PONTOS DE CARREGAMENTO

O BEI vai também financiar com 41,5 milhões de euros a construção de uma rede de carregadores de veículos elétricos que será implementada em toda a Península Ibérica, com especial atenção para as zonas menos povoadas, uma vez que um dos objetivos é a coesão territorial.

Segundo a Galp, este projeto prevê a implementação de 5.500 pontos de carregamento até 2025, 55% dos quais estarão localizados em regiões menos desenvolvidas.

Desta forma, a Galp terá em funcionamento durante o ano de 2025 um total de 10.000 pontos de carregamento de veículos elétricos em ambos países.