EFELisboa

O Governo português anunciou esta terça-feira o lançamento de 28 medidas para combater os efeitos da falta de chuva no país, como limitações à rega e campanhas de sensibilização, num momento em que 66% do território está em seca extrema e 33% em seca severa.

Numa conferência de imprensa conjunta, o ministro do Ambiente e Ação Climática, Duarte Cordeiro, e a ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, explicaram que Portugal vive "uma das situações mais graves, talvez a mais grave desde 1931".

No entanto, afirmaram que há água alojada para consumo humano para os próximos dois anos e que a campanha de irrigação está assegurada para 2022 em 37 de 44 barragens.

"Temos que nos habituar a viver com menos água, e isto é válido para todos os portugueses", defendeu Cordeiro.

As iniciativas a implementar incluem medidas de curto e longo prazo, como campanhas de sensibilização sobre o uso de água tanto para os consumidores como os setores agroalimentares e industriais e limitações de irrigação em agricultura, espaços verdes urbanos ou na produção de energia hidroelétrica.

O ministro ressaltou que estão a monitorizar a situação há dois meses e que "no final deste mês, em Lisboa", preveem uma reunião com as autoridades espanholas para "averiguar o cumprimento de responsabilidades de cada uma das partes".

Face ao futuro, o Plano Regional de Eficiência Hídrica do Algarve prevê 200 milhões do Programa de Recuperação e Resiliência (PRR) para projetos de reutilização de águas residuais e um projeto para impulsionar uma dessalinização da água do mar.

Além disso, serão procuradas fontes de financiamento para implementar mais medidas e um plano de intervenção na zona do Tejo e do oeste.

SETE BARRAGENS COM LIMITAÇÕES

Desde o ponto de vista agrícola, Antunes explicou que, das 44 barragens monitorizadas em Portugal, 37 "apresentam níveis de armazenamento que garantem a campanha de rega para 2022", enquanto "7 barragens apresentam limitações".

Por isso, defendeu a introdução de mais tecnologia nas explorações e apostar pelo PRR.

As medidas anunciadas esta terça juntam-se às 50 já comunicadas em fevereiro, quando 91% de Portugal continental se encontrava em situação de seca severa ou extrema.

Nesse mês, o Executivo do socialista António Costa anunciou a restrição de uso de várias barragens utilizadas para a produção de eletricidade e de uso agrícola, entre outras iniciativas.